sexta-feira, 30 de maio de 2014

VIDA: SOPRO DO CRIADOR



O que é, O que é?

(Gonzaguinha)

Eu fico com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita

Viver
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz

Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita

Viver
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz

Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita

E a vida
E a vida o que é?
Diga lá, meu irmão
Ela é a batida de um coração
Ela é uma doce ilusão
Hê! Hô!

E a vida
Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é?
Meu irmão

Há quem fale
Que a vida da gente
É um nada no mundo
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo

Há quem fale
Que é um divino
Mistério profundo
É o sopro do criador
Numa atitude repleta de amor

Você diz que é luta e prazer
Ele diz que a vida é viver
Ela diz que melhor é morrer
Pois amada não é
E o verbo é sofrer

Eu só sei que confio na moça
E na moça eu ponho a força da fé
Somos nós que fazemos a vida
Como der, ou puder, ou quiser

Sempre desejada
Por mais que esteja errada
Ninguém quer a morte
Só saúde e sorte

E a pergunta roda
E a cabeça agita
Eu fico com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita

Viver
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz

Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita


ATIVIDADES

1- Estudo do texto;
2- Refletir com as turmas sobre o sentido da vida;
3-Escolher e destacar a mensagem mais importante da        poesia;
4- O que significa "eterno aprendiz"?
5- Pesquisa sobre pessoas que doaram suas vidas ou salvaram vidas arriscando a sua.
6- Construção de um mural sobre este tema.
7- Ouvir a música várias vezes;
8- Dançar, cantar...
9- Desenvolvimento de redação;
10-Construção de frases, cartazes, vídeos entre outros;
     de acordo com as turmas.

Bom trabalho!



quinta-feira, 22 de maio de 2014

DEUS O AUTOR DA DIVERSIDADE

Fonte: Youtube

“Deus quer que seus filhos e filhas vivam em Paz, como irmãos e irmãs. Ou: Alá quer que seus e filhas vivam em Paz como irmãos e irmãs. Ou então: Javé quer que seus filhos e filhas vivam em Paz, como irmãos e irmãs. Ou ainda: Olorum quer que seus filhos e filhas vivam em Paz, como irmãos e irmãs”.

“Deus, Alá, Javé, Olorum, O Grande Espírito, A Deusa, Brahman... São muitos os nomes pelos quais os seres humanos chamam o Criador. Mas a vontade d’Ele é uma só: que seus filhos e filhas vivam em paz, como irmãos e irmãs”.

“Se é esta a vontade do Criador, quem somos nós para desafiá-la? E, no entanto, nós a desafiamos. Todas as vezes que discriminamos nosso semelhante porque ele pensa diferente, ou faz suas preces de maneira diferente, ou chama o Criador por um nome diferente, nós desafiamos a Sua vontade. Porque ele deu a seus filhos e filhas a maior de todas as graças: a capacidade de pensar. De pensar livre. De pensar diferente”.


(Cartilha: Diversidade religiosa e direitos humanos)

segunda-feira, 19 de maio de 2014

ENSINO RELIGIOSO E EDUCAÇÃO

Maria José Torres Holmes 


O Ensino Religioso tem no fenômeno religioso o seu objeto de estudo. Sua prática nas escolas proporciona esse conhecimento que se desenvolve a partir da decodificação, que é observar como se dá essa busca de transcendência a partir da experiência dos docentes e discentes. Esse conhecimento associado à educação e à cidadania observa-se uma sintonia entre ambos, tão importante na formação do ser humano.
É considerado um facilitador de uma educação dialógica, inventiva, reflexiva e humana; provoca a discussão sobre o sentido da vida, cujas referências estão no estudo sobre as tradições e culturas religiosas que acontecem na história, cujas respostas para a vida além morte se apresentam como norteadoras, através da: 
  •     Ressurreição; 
  •      Reencarnação; 
  •      Ancestralidade e do
  •      Nada.

Isto de acordo com a tradição cultural religiosa de cada povo. Todavia, percebe-se também que há uma sintonia entre estes valores, muito especial na formação do ser humano.

Esta relação repercute através do ethos.

·        Onde se realiza o próprio sentido do ser, em que é formado na sua percepção interior dos valores;
·        Dos quais nasce o dever como expressão da consciência e como resposta do próprio “eu” pessoal.
·  Diz respeito a uma realidade humana que é construída historicamente e socialmente a partir das relações coletivas dos seres humanos nas sociedades onde nascem e vivem.
Toda e qualquer cultura possuem esses valores que são fundamentais na formação cultural de cada povo.