A HISTÓRIA DO ENSINO RELIGIOSO EM JOÃO PESSOA

O novo que surge na Rede Pública Municipal de Ensino de João Pessoa 2006

Uma parte de um Artigo apresentado por esta autora ao FONAPER 

A implantação desse Componente Curricular para o Sistema de Ensino da Rede Municipal da cidade de João Pessoa – PB no ano de 2006 tem um grande significado para todas as escolas. Considerando ser o Ensino Religioso uma área de conhecimento que tem como objetivo primordial valorizar a pluralidade religiosa existente no contexto escolar; e o cumprimento da Legislação Brasileira, são fatores preponderantes que levaram Rede de municipal de Ensino de João Pessoa a inserir em seu currículo, por se tratar de mais um elemento facilitador para o respeito e o diálogo com as diferenças contribuindo dessa forma significativamente na construção da cidadania.
A exclusão tornou-se um grande empecilho para o pleno desenvolvimento da cidadania. É muito importante a busca de alternativas para que se possa contribuir para um mundo melhor. Neste sentido o Ensino Religioso segundo sua proposta oferece uma grande contribuição para a formação cidadã. Carniato em sua fala no I Colóquio Municipal de Educação (I COMED), por ocasião do Seminário de Implantação do Ensino Religioso fez a seguinte citação:

“O novo modelo de Ensino Religioso procura iluminar com o conhecimento da transcendência, o processo da educação para cidadania, para o protagonismo na transformação do mundo [...] o que é uma utopia de todas as religiões, é um mundo para todos, onde ninguém se sinta na exclusão de qualquer natureza...”. (Carniato, Maria Inês. Especialista em ER e Mestra em Teologia. Redatora da Revista Diálogo-2006).

É nesta perspectiva que a Secretaria de Educação e Cultura de João Pessoa vem trabalhando. Com ações voltadas para eliminar as diversas formas de exclusão, como um processo de valorização do ser e do ser com o outro.
Este projeto tem como objetivo geral formalizar o Ensino Religioso na Rede Pública Municipal de Ensino de João Pessoa, valorizando o pluralismo e a diversidade cultural religiosa existente em nossa cidade, no Brasil e no mundo.
Como objetivos específicos: 1-Constituir um quadro de docentes para ministrar o Ensino religioso; 2-Proporcionar um espaço de estudo e reflexão acerca do fenômeno religioso tomando como referência os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso (PCNER); 3-Contribuir no processo de ensino e aprendizagem, como um espaço de formação humana, ética e cultural; 4-Discutir formas metodológicas para encaminhamento das atividades no campo do Ensino Religioso às escolas da Rede Pública Municipal.
As ações deste projeto estão voltadas para uma dinâmica de acompanhamento sistemático por parte da Secretaria de Educação e Cultura de João Pessoa, através da Capacitação de Professores (formação continuada). Atualmente existe uma parceria com a Universidade Federal da Paraíba na preparação dos docentes de acordo com Legislação e os PCNER, com promoção de encontros mensais, e visitas às escolas e aos pólos, com o intuito de dar mais apoio aos professores.
A participação em Seminários, Congressos, Conferências, e Fóruns nesta área de conhecimento têm contribuído bastante na formação dos docentes. As oficinas pedagógicas, e trocas de experiências, visitas a locais históricos e sagrados são recursos que somam junto à formação continuada para enriquecimento do processo educativo.  Além disso, há o monitoramento por parte da SEDEC às escolas com a finalidade de dar mais incentivo ao ensino e aprendizagem. Reuniões com a equipe técnica e diretiva das escolas para dar apoio pedagógico necessário aos professores e avaliar continuamente junto aos docentes como estão desenvolvendo a prática desse componente curricular no cotidiano escolar.  Segundo Cortela:

“A construção da competência do docente de Ensino Religioso, por ser área profundamente delicada e usualmente polêmica, carece de maior substância e necessita ser feita de forma embasada, consistente, metódica, com os recursos e reflexões da Didática e da Pedagogia dos processos educativos. Por outro lado, isso de nada adianta se deixarmos de recorrer aos fundamentos das Ciências da Religião, com todo o aporte que nos oferece ao investigar as manifestações do religioso na história e nas sociedades (de antes e de agora), seus campos simbólicos, as relações com o poder político, sempre com a colaboração multidisciplinar de vários ramos do saber. Em outras palavras: Ensino Religioso é parte fundamental da tarefa educativa e, como tal, precisa de robusta base científica, religiosidade consciente, solidez pedagógica e compromisso cidadão”.
(Cortela. Filósofo, Mestre e Doutor em Educação-PUC-SP. Professor titular do Departamento de Teologia e Ciências da Religião. PUC).

Sabemos que este acompanhamento sistematizado é fundamental; o envolvimento e o apoio do FONAPER contribuem bastante para o fortalecimento deste Referencial Curricular, no entanto ainda falta muito para que o Ensino Religioso se realize plenamente nas escolas. É preciso garantir meios para consolidar o Curso de Graduação em Ciências das Religiões nas diversas Universidades Públicas do nosso País, o que dará sustentabilidade para o desenvolvimento do conhecimento religioso nas escolas públicas.  Por outro lado, este profissional estará bem mais preparado para o desenvolvimento de suas habilidades, bem como este componente curricular terá a sua própria identidade.
No entanto, poderemos dizer que o Ensino Religioso no Estado da Paraíba está entrando pela “porta da frente”, pois além de estar nas escolas públicas, a Universidade Federal da Paraíba implantou a pós-graduação e a graduação em Ciências das Religiões, o que significa um grande avanço para este Componente Curricular na cidade de João Pessoa.

O Perfil do Professor de Ensino Religioso
Deve-se levar em consideração o seu compromisso com o aprimoramento de sua própria religiosidade. Buscar, compreender e interpretar constantemente as manifestações religiosas do mundo contemporâneo. Ter abertura e facilidade para o diálogo junto às outras experiências religiosas. Saber da complexidade da questão religiosa, sendo sensível à pluralidade da mesma. Ser consciente de que o Ensino Religioso a ser ministrado nas escolas públicas, distingue-se da ação catequética de uma comunidade de fé, assumindo uma orientação ecumênica e inter-religiosa. Respeitar os processos das tradições religiosas vivenciadas pelo alunado, criando as condições necessárias para o crescimento humano e espiritual dos mesmos.
Enquanto não temos ainda a graduação é necessário ter cursos de Licenciatura e/ou Filosofia; Sociologia e Ciências das Religiões. Participar de cursos sistemáticos nessa área de conhecimento com carga horária mínima 120 horas, oferecida por instituições públicas, religiosas e ou acadêmicas. Participar ainda do processo de formação continuada para a docência do Ensino Religioso a ser ministrado anualmente pela SEDEC.
Compete ao professor, estar disponível ao diálogo, e seja capaz de promovê-lo a partir das questões suscitadas no processo de aprendizagem do aluno. Criar a oportunidade de ter o Ensino Religioso de forma sistematizada permite uma compreensão mais crítica do cidadão.
“Não há diálogo, porém, se não há um profundo amor ao mundo e aos homens, não é possível a pronúncia do mundo, que é um ato de criação e recriação, se não há amor que a infunda”. (Freire-2005, pp.91-92).
Quanto à avaliação deste Componente Curricular, observa-se a sociabilidade, postura, compromisso, integração e participação, na expectativa da aprendizagem do educando e de sua transformação em relação às atitudes de reverência para com o transcendente do outro, de respeito à alteridade e ao direito do outro de ser diferente, o desenvolvimento da capacidade de tolerância assumindo sua identidade pessoal com segurança e liberdade. Na Rede Publica Municipal de Ensino de João Pessoa, o alunado é avaliado continuamente e qualitativamente, e também se auto-avalia.

           A Escolha dos Professores de Ensino Religioso: deu-se através de uma seleção feita com análise de currículos, entrevistas, e o preenchimento de uma ficha que analisada as respostas aproximava e identificava o perfil do professor. Tanto os titulares quanto os prestadores de serviço participaram desta seleção. Isto aconteceu de dezembro de 2005 a janeiro de 2006, conforme descrito abaixo. 


Seleção para Docentes do Ensino Religioso
Ficha de Inscrição

1 – Nome:........................................

2 – Função que exerce na escola:..........................................

3 – Formação Acadêmica:.........................................................

4-Curso(s) na área de Ensino Religioso:..........................................

Carga Horária:........ Entidade Promotora:..............................................

5 – Tem experiência na área de Ensino Religioso? Caso sua resposta seja afirmativa, faça uma breve descrição desse trabalho.
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

6 – Qual o seu interesse em trabalhar com Ensino Religioso?

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

7 – Você tem disponibilidade de participar dos cursos de formação?
 ( ) sim       ( ) não

Dificuldades: Uns dos grandes entraves apresentados para o acontecimento deste projeto foram: a falta de conhecimento de algumas pessoas em relação às diretrizes deste Componente Curricular; o número de professores titulares disponíveis para trabalhar com esta temática ser muito reduzido; a contratação dos docentes prestadores de serviço passar por um processo muito lento; e a falta do livro didático. Tudo isto foram entraves para o desenvolvimento do trabalho pedagógico, tendo em vista a escola não dispor destes recursos.
Encaminhamentos: no final de 2006 fizemos a escolha do livro didático com a participação dos professores, e o parecer técnico de uma professora da UFPB. Estamos elaborando um caderno pedagógico contendo as diretrizes, a legislação, conteúdos e sugestões de atividades, para encaminhamentos aos docentes e escolas bem como uma proposta de Plano de Curso para a Rede Municipal de Ensino de João Pessoa.
            Resultados: Em fevereiro de 2006 por ocasião do I Colóquio Municipal de Educação (I COMED) aconteceu a Implantação do Ensino Religioso através de um Seminário de Sensibilização com uma carga horária de oito (08) horas, tendo como Ministrante, a Professora Maria Inês Carniato. Em seguida houve um Curso de Capacitação com 120 horas aula, com certificação oferecida pela SEDEC, ministrado pelo Professor Vanderlan Paulo de Oliveira.
Os assuntos estudados foram embasados no Curso de Capacitação: Ensino Religioso Capacitação para Um Novo Milênio (Ano 2000) elaborado pelo FONAPER em 12 Módulos. Além disso, aconteceram “relato e troca de experiências”, visitas a Baía da Traição e ao Templo Hinduísta para conhecerem de perto essas culturas e mais oficinas diversas oferecidas pelas Editoras Paulinas. Atualmente a formação continuada prossegue, sendo com mais profundidade pelos professores da UFPB. A aquisição do livro didático para os docentes foi um avanço de grande significação.
As metas deste projeto estão sendo atingidas satisfatoriamente, pois a partir de 2006 o Ensino Religioso foi implantado nas 65 escolas de Ensino Fundamental II (total). Desse período até 2008 acrescentaram-se mais seis (6) que foram construídas, significa dizer que todas estão com professores ministrando as aulas de Ensino Religioso normalmente, e dez (10) dessas escolas já implantaram no Ensino Fundamental I, com professores específicos da disciplina. Temos cinqüenta e três (53) professores. Desses temos sete (7) professores especialistas, e três mestrandos em Ciências das Religiões pela UFPB.  Esperamos atingir brevemente em todas as escolas da rede.

Referências

CÂNDIDO, Viviane Cristina. Educação cidadã e ensino religioso. Revista Diálogo nº. 27, p. 38-39. São Paulo: Paulinas agosto 2002.
CARON, Lurdes (org.) et al. O ensino religioso na nova LDB, Petrópolis RJ: Editora Vozes, 1998.
FIGUEREDO, Anísia de Paulo. O Ensino Religioso: Perspectiva, Tendências e Desafios. 2ª edição, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.
FÓRUM NACIONAL PERMANENTE DO ENSINO RELIGIOSO. Ensino religioso capacitação para o novo milênio. Cadernos: 1, 2, 3,10 e 11
____________Parâmetros curriculares nacionais do ensino religioso. 6. Ed. São Paulo: Editora Ave Maria 1997.
FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido, SP. Editora Paz e Terra, 1993.
SENA, Luzia (Org.) et al. Ensino Religioso e Formação Docente: ciências da religião e ensino religioso em diálogo. São Paulo: Paulinas 2006.

 Aucilene educadora da SEDEC 
colaborando com a dinâmica de sensibilização
momentos marcantes 
momentos inesquecíveis, de saudades, 
muitos não estão mais atuando...
Profª Azimar coordenadora do ER Estadual. 
Profª Prazeres compondo a equipe
Apresentação da expositora Maria Inês Carniato 
por Maria José Coordenadora do ER
 Palestrante Maria Inês Carniato - 
Seminário de Implantação do ER
Autora da Coleção de Ensino Religioso 
1º ao 9º Ano - Paulinas
Além dos professores, temos a representante das Paulinas
Nelma que deu o apoio à Palestrante Inês Carniato.
Este é o início de  uma pequena parte da história do ER 
em João Pessoa-PB

Comentários

  1. Recordar é viver. Como é bom olhar para traz e perceber o quanto já percorremos! É muito gratificante observar os caminhos percorridos! Esta é uma história muito interessante formada pela equipe de professores de Ensino Religioso.

    Parabéns...

    ResponderExcluir
  2. Muitos destes professores já não estão mais conosco. Optaram por outros ramos, porém nos deixaram saudades...

    ResponderExcluir

Postar um comentário