segunda-feira, 12 de agosto de 2019

O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO E A CONSTRUÇÃO DA PAZ







Emerli Schlögl

Dialogar significa ser capaz de dizer o seu pensamento e ouvir o pensamento do outro, não apenas ouvir, mas reconhecer o direito que o outro tem de pensar diferente. Após um momento de diálogo as pessoas não precisam sair todas pensando igual, o que é fundamental é que elas compreendam os próprios pensamentos e da mesma forma compreendam e acolham os pensamentos dos outros. A partir daí, podem se estabelecer formas de estar junto, formas de cooperação em que todos contribuam sem se sentirem obrigados a mudar de opinião. Aquele que desejar ampliar e flexibilizar a sua forma de pensar é livre para fazê-lo, mas aquele que não se sentir impelido a mudar ou assimilar novas formas deve ser respeitado em seu direito de ser aquilo que é, de acreditar naquilo que quiser. Em se tratando de religiões isto é muito importante, pessoas de diferentes tradições religiosas acreditam, ritualizam, enfim, vivenciam religião de maneiras diferenciadas. Como podem estas pessoas conversar, dialogar de maneira a construir a possibilidade de um mundo pacífico? O que significa para você construir a paz? O que você pensa sobre isto? Escreva seu pensamento e compartilhe-o com os colegas.
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


Certas pessoas se sentem donas absolutas da verdade, por isso, tentam de todos os modos mudar o pensamento dos outros. Foi o que aconteceu com os portugueses que trouxeram para o Brasil a sua religião e obrigavam os índios e negros a deixarem suas crenças. Com este comportamento, aconteceu e ainda acontece, uma grande desvalorização do outro. O desrespeito pela liberdade individual deixa marcas profundas de amargura nos povos dominados. Isto acontece com todos nós quando não somos ouvidos e respeitados em nossa forma de viver. Se formos obrigados a mudar, a adotar um estilo de vida que não nos agrada, sentimos profunda revolta e tentamos resistir. O mundo não precisa de mais católicos, mais budistas, mais espíritas, evangélicos, umbandistas, etc. O mundo precisa sim, de católicos, evangélicos, budistas, espíritas... Que vivam de fato as suas crenças religiosas, e que possam compartilhar este mundo com pessoas de outros credos, respeitando-se profundamente e trabalhando juntas para o bem estar de todos. Outras questões para você refletir e depois registrar nas linhas abaixo a sua opinião: Seus amigos são diferentes de você? Seguem religiões ou igrejas diferentes, gostam de coisas diferentes? Eles respeitam a sua maneira de ser? Você gosta deles, do jeito como eles são?
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


Você está aberto para dialogar com os outros? Está em harmonia com seu estudo, sua família, seu corpo, seus colegas? Por quê?
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


ATIVIDADES



1) Identifique no ambiente de sua escola situações que refletem harmonia e a desarmonia. 
  • Faça uma lista dessas situações. 
  • O que poderia ser feito para amenizar as situações desarmônicas
  • Pense e converse com seus colegas. 
  • Apresentem sugestões.

2) Crie um cartaz onde apareçam pessoas bem diferentes dialogando e convivendo em paz. 
  • Socialize o seu cartaz fazendo uma exposição do mesmo na escola.



Nenhum comentário:

Postar um comentário