VIDA PÓS-MORTE PARA A DIVERSIDADE RELIGIOSA



A morte trata de uma das certezas da vida terrena! Conhecer o significado da morte é muito importante para os seres humanos. Porém, embora sabendo que esta vida é apenas uma passagem, mesmo assim, deixa-nos temerosos. Existem aqueles que se dizem preparados para quando chegar a sua hora. Outros não gostam nem de ouvir falar neste assunto. O fato é que um dia teremos que partir dessa vida.
A sobrevivência do espírito humano à morte do corpo físico e a crença na vida e no julgamento após a morte já era encontrada na filosofia grega, em especial em Pitágoras, Platão e Plotino.
Na diversidade religiosa o ser humano concebe morte como uma passagem ou viagem de um mundo para outro. Cada crença religiosa interpreta de maneira diferente o falecimento de uma pessoa. Respeitar os rituais é um dever humanitário, que “são ações repetidas de modo regular e previsível, que dão coerência ao processo do tempo [...]”.
Portanto a morte é um rito religioso, com suas diferenças para cada crença religiosa. A isto damos o nome de fenômeno religioso que apresenta diversas maneiras de classificar a vida além-morte de acordo com Luiz Alberto Souza Alves in: Tradições Religiosas e compreensão do mundo e as questões de vida e morte (nimec). Daí é que surgem as perguntas existenciais: De onde vim? Por que vivo? E para onde vou?
Os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso apontam o “fenômeno religioso e as respostas para a vida além da morte”, as respostas elaboradas pela humanidade, e que são norteadoras do sentido da vida, as quais são:
·         A Ressurreição: significa que renasce para a vida eterna;
·         A Reencarnação: renasce para outras vidas terrenas;
·         O Ancestral: acredita que os espíritos dos antepassados cuidam da vida de seus descendentes na terra;
·         O Nada: Os que acreditam que não existem outras vidas.

        “As imagens do mundo também incluem relatos sobre o tempo, a natureza humana, o destino e os modos pelos quais os vivos podem continuar a cuidar dos mortos.”

Referências:


Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso: Ensino Religioso, capacitação para o novo milênio (caderno 4, ano 2.000, p.28-33);

Essa temática pode ser estudada pelos alunos/as de 8º e 9º anos, através de:

  • Pesquisas;
  • Produções de textos;
  • Cartazes;
  • vídeos;
  • Murais;
  • Músicas que abordem vida e morte;
  • Palavras cruzadas;
  • Caça palavras entre outras.




Comentários