DATAS COMEMORATIVAS- PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICANOVEMBRO 2






 
Com a Proclamação da República em 15 de novembro de 1889, o Brasil se libertava de um regime monárquico para viver um regime republicano. No dia 18 de novembro, D.Pedro II e a família imperial partiam rumo à Europa. Tinha início a República Brasileira com o Marechal Deodoro da Fonseca assumindo provisoriamente o posto de presidente do Brasil. A partir de então, o pais seria governado por um presidente escolhido pelo povo através das eleições. Foi um grande avanço rumo a consolidação da democracia no Brasil. Foram 67 anos em que o regime monárquico imperava.

Várias foram as causas que contribuíram para essas mudanças:

1- Crise da Monarquia:  A crise do sistema monárquico brasileiro pode ser explicada através de algumas questões: A interferência do Imperador D. Pedro II nos assuntos religiosos, provocando insatisfação na Igreja Católica; A corrupção na corte provocando duras críticas feitas pelo Exército Brasileiro.Os militares estavam descontentes com a proibição, imposta pela Monarquia, pela qual os oficiais do Exército não podiam se manifestar na imprensa sem uma prévia autorização do Ministro da Guerra; A classe média (funcionário públicos, profissionais liberais, jornalistas, estudantes, artistas, comerciantes) estava crescendo nos grandes centros urbanos e desejava mais liberdade e maior participação nos assuntos políticos do país.  O apoio dos republicanos pelo fim do Império.
2- A Crise Econômica: Agravou-se em função das elevadas despesas financeiras geradas pela Guerra da Tríplice Aliança, cobertas por capitais externos. Os empréstimos brasileiros elevaram-se, causando uma grande inflação à Monarquia. A falta de apoio dos proprietários rurais, principalmente dos cafeicultores do Oeste Paulista, que desejavam obter maior poder político, já que tinham grande poder econômico; As medidas adotadas pelo Império para a gradual extinção do regime escravista, devido à repercussão da experiência mal sucedida nos Estados Unidos de libertação geral dos escravos terem levado aquele país à guerra civil. Essas elites reivindicavam do Estado indenizações proporcionais ao preço total de pagamento pelos escravos a serem libertados por lei. Estas indenizações seriam pagas com empréstimo externo; A decretação da Lei Áurea (1888), e ao deixar de indenizar esses grandes proprietários rurais, o império perdeu o seu último pilar de sustentação. 
4- A Crise Religiosa: O conflito ocorrido no Brasil na década de 1870 iniciado como um enfrentamento entre a Igreja Católica e a maçonaria, acabou se tornando uma grave questão de Estado. Suas causas podem ser traçadas desde muito tempo antes, fundadas em divergências irreconciliáveis entre o catolicismo ultramontano, o liberalismo e o regime do padroado.  A questão evoluiu centrada na atuação de dois bispos, Dom Vital e Dom Macedo Costa, ardentes defensores do catolicismo ultramontano. Baseando-se em ordenações papais não aprovadas pelo Império, ao interditarem irmandades sob sua jurisdição, por manterem elas em seu seio membros maçons, e negando-se a levantar os interditos após ordem expressa do governo, já que tais associações eram regidas também pelo poder secular, julgou-se que feriram a Constituição do Império e incorreram em culpa de desobediência civil, sendo presos e condenados a trabalhos forçados.
 




www. wikipédia.com

Comentários