sábado, 3 de novembro de 2012

UMA PROPOSTA DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DO ENSINO RELIGIOSO NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE JOÃO PESSOA



Projeto aplicativo apresentado à Secretaria Municipal de Educação de João Pessoa - PB 2005

“Se eu pudesse, daria um globo terrestre a cada criança... Se possível, até um globo luminoso, na esperança de alargar o máximo a visão infantil de ir despertando interesse e amor por todos os povos, todas as raças, todas as línguas, todas as religiões!...” (D. Helder Câmara)




RESUMO:

1-JUSTIFICATIVA

A partir de 1990, por circunstâncias históricas (crise cultural), surge um novo Ensino Religioso, quando diversos segmentos da sociedade  lutam para transformá-lo em uma disciplina regular do conjunto curricular, Lei de Diretrizes e Bases n  9394/ 96. No entanto os professores ainda descontentes com o artigo 33 da LDB, Lei que provocou grande confusão, uniram-se e foram às lutas, o que resultou na aprovação da nova Lei de nº 9475/97, garante que as escolas oportunizem aos alunos o acesso ao conhecimento religioso, deixando claro que as formas institucionalizadas de religião são competências das igrejas e crenças religiosas.
A implantação desse Componente Curricular para o Sistema de Ensino da Rede Municipal da cidade de João Pessoa- PB tem um grande significado para todas as escolas, considerando os problemas existentes que dificultam o cotidiano escolar, devido a vários fatores. Diante disto destacamos dois pontos importantes: 
  • O cumprimento da Lei de Ensino;  
  • O Ensino Religioso ser um componente curricular.
Neste sentido o Ensino Religioso oferece uma grande contribuição para a formação cidadã, respeitando as diversidades das Tradições Religiosas existentes na Paraíba, no Brasil e no Mundo. É preciso, portanto prover os educandos de oportunidades de tornarem-se capazes de entender os momentos específicos das diversas culturas, cujo substrato religioso colabora no aprofundamento para a autêntica cidadania. Essa responsabilidade atribuída à escola como conseqüência do Projeto Educativo, comprometido com a democratização social e cultural, coloca esse Componente Curricular na função de estabelecer diálogo, possibilitando construir explicações e referenciais, que escapam do uso ideológico, doutrinal ou catequético. 

2-OBJETIVOS E METAS

2.1-GERAL

  • Formalizar o Ensino Religioso nas escolas públicas do Município de João Pessoa, visando valorizar o pluralismo e a diversidade cultural existente na sociedade brasileira e no mundo, facilitando a compreensão das formas que exprimem a Transcendência na superação da finitude humana que determinam o processo histórico da humanidade.

2.2-ESPECÍFICOS 

  •  Proporcionar o conhecimento dos elementos básicos que compõem o fenômeno religioso, a partir das experiências religiosas percebidas no contexto do educando; 
  • Subsidiar o educando na formulação do questionamento existencial em profundidade, para dar sua resposta devidamente informada; 
  • Analisar o papel das tradições religiosas na estruturação e manutenção das diferentes culturas e manifestações sócias - culturais; 
  • Facilitar a compreensão do significado das afirmações e verdade de fé das tradições religiosas; 
  • Refletir o sentido da atitude moral, conseqüência do fenômeno religioso e expressão da consciência e da resposta pessoal e comunitária do ser humano; 
  • Possibilitar esclarecimento sobre o direito à diferença, na construção de estruturas religiosas que têm na liberdade o seu valor inalienável.

2.3-METAS

  • Implantação do Ensino Religioso em todas as escolas da Rede Municipal de João    Pessoa    até o final de 2007
  • Capacitação de todos os professores até 2006.  
Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso (PCNER), os objetivos são as grandes metas da área do conhecimento, que ao final de uma série, determinados objetivos tenham sidos alcançados.  Esses objetivos são suficientemente amplos e abrangentes para que possam conter as especificidades locais.

3- PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

O tratamento didático dado a essa  área do conhecimento segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso (PCNER)  acontece através da: observação, reflexão e informação. 
  • OBSERVAÇÃO: tanto aluno quanto professor observa os símbolos e suas matrizes religiosas, histórias de vida, conhecimento prévios, ambas as observações se completam e se enriquecem. O professor age como orientador dessa observação seletiva para trabalhar os conceitos da disciplina. 
  • REFLEXÃO: acompanha todo o processo, o professor pode encaminhar a reflexão com questionamentos, diálogos, problematizações, que promovam a conscientização, o entendimento e a decodificação do objeto de estudo, o fenômeno religioso. Isto permitirá ao aluno abrir sua visão, desarmar-se de preconceitos, discernir e perceber a unidade na diversidade das tradições religiosas como a defesa da vida, a busca de sentido, a necessidade de Transcendência. 
  • INFORMAÇÃO: professor ajuda o aluno a se apropriar do conhecimento sistematizado, organizado, elaborado, para que possa passar de uma visão ingênua, empírica, fechada, dogmatizada, desarticulada e muitas vezes incoerente para uma nova visão decodificadora e explicitadora da realidade. Todos esses procedimentos devem necessariamente possibilitar que os alcances dos objetivos sejam atingidos. 

4- AÇÕES DO PROJETO
  • Capacitação de professores (ver anexo Curso de Formação Docente); 
  • Participação em Seminários, Congressos e Fóruns referentes ao Ensino Religioso;
  • Promoção de encontros bimestrais, com todos os professores para subsidiar a prática docente e trocar experiências; 
  • Visitas as escolas com a finalidade de dar mais incentivo à aprendizagem; 
  • Reuniões com a equipe de especialistas e gestoras das escolas para dar apoio      pedagógico necessário aos professores; 
  • Avaliação juntamente com os docentes como estão desenvolvendo a prática desse componente curricular.    
·           
5- CARGA HORÁRIA

De acordo com a Lei 9475/97 – LDB e a Grade Curricular do Município de João Pessoa, o Ensino Religioso é ministrado com 1 hora aula semanal em cada série; sendo do 1º Ano ao 9º ano com um professor específico capacitado para ministrar essa disciplina. O exercício da docência será feito em horário normal de sala de aula.

5.1- AVALIAÇÃO 

De acordo com os PCNER, a avaliação permeia os objetivos, os conteúdos e a prática didática, portanto é processual e conforme os PCNs possue três etapas:  

  • Inicial: é investigativa. No ER é o reconhecimento de grupos culturais religiosos, identificados nas várias crenças dos próprios educandos; 
  • Formativa: tem como referencial a capacidade de perceber as diferenças das tradições religiosas, surgindo do diálogo, e consequentemente na convergência se dá a construção e a reconstrução do conhecimento do fenômeno religioso; 
  • Final: consiste na aferição dos resultados de todo o período de aprendizagem de acordo com os  objetivos.   
    Neste Componente Curricular, observa-se a sociabilidade, postura, compromisso, integração,  participação,  na expectativa da aprendizagem do educando e de sua transformação em relação às atitudes de reverência para com o Transcendente do outro, de respeito à alteridade e ao direito do outro de ser diferente, o desenvolvimento da capacidade de tolerância assumindo sua identidade pessoal com segurança e liberdade.

6- CRONOGRAMA DE ATIVIDADES


ATIVIDADES
2005
2006
MESES
MESES

7
8
9
10
11
12
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
IMPLEMEN-
TAÇÂO


















APRESENT.
À SEDEC


















ENCONTRO
SECRETÀRIO


















REUNIÃO
GESTORES


















SELEÇAO
PROFESSORES


















CAPACITAÇÂO
PROFESSORES


















PLANEJ.
BIMESTRAL


















REUN. EQUIPE
DA ESCOLA


















CALENDÀRIO
ACOMPAM.


















VISITAS
 ESCOLAS


















OFICINAS PEDAGÒGICAS



















AVALIAÇÂO



















 7-REFERÊNCIAS

CADERNO TEMÁTICO DO ENSINO RELIGIOSO n°1. Curso de Capacitação
do Ensino Religioso.

CÂNDIDO, Viviane Cristina. Educação cidadã e ensino religioso. Revista Diálogo nº 27. p. 38-39. São Paulo: Paulinas,  agosto 2002.

CARNIATO, Maria Inês. Coleção: Ensino religioso fundamental. Pré à 8ª série.
São Paulo: Paulinas, 2001.

CARON, Lurdes (org.) et al. O ensino religioso na nova LDB, Petrópolis RJ:
Editora Vozes, 1998.

FIGUEREDO, Anísia de Paulo. O Ensino Religioso: Perspectiva, Tendências e Desafios. 2ª edição, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

FÓRUM NACIONAL PERMANENTE DO ENSINO RELIGIOSO. Ensino religioso capacitação para o novo milênio. Cadernos: 1, 2, 3,10 e 11

_____.Parâmetros curriculares nacionais do ensino religioso. 6. Ed. São
Paulo: Editora Ave Maria 1997.

GADOTTI, Moacir. Escola Cidadã: um salto para o futuro (apostilha).

LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da Aprendizagem Escolar. São Paulo: Cortez, 1995.



PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA

DIRETORIA DE GESTÃO CURRICULAR

COORDENAÇÃO DE ENSINO FUNDAMENTAL II

 ENSINO RELIGIOSO



RICARDO VIEIRA COUTINHO
Prefeito

MANOEL ALVES DA SILVA JÚNIOR
Vice-Prefeito

WALTER GALVÃO PEIXOTO DE VASCONCELOS FILHO 

Secretário de Educação e cultura

LUCIA GIOVANNA DUARTE DE MELO  

Secretária Adjunta de Educação e Cultura

JOSILANE MARIA AIRES DO NASCIMENTO 

Diretora de Gestão Curricular


Coordenação / Elaboração:
MARIA JOSÉ TORRES HOLMES

Colaboradoras:
LÚCIA ELIZABETH PONCE LEON MELLO
TELMA LÚCIA DE SOUZA FÉLIX
CONCEIÇÃO SILVA

Responsável
Maria José Torres Holmes
João Pessoa – 2005

3 comentários:

  1. O ensino religioso facilita a cultura e a diversidade, a importância do ensino religioso nas escolas, possibilitando ao professor ,levar seus alunos a refletir sobre temas atuais como: Cultura da Paz, Diálogo, Solidariedade, Defesa da Vida, Bullying, Meio Ambiente etc. N a LDB, o ensino religioso é parte integrante da formação básica do cidadão. Segundo a Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9394/96, Artigo 33, redação alterada pela Lei nº 9475/97. “O ensino religioso, de matrícula facultativa, é parte integrante da formação básica do cidadão e constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurado o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer formas de proselitismo.”
    Conforme os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso, “o ensino religioso necessita cultivar a reverência, ressaltando pela alteridade que todos são irmãos. Permitindo que a sociedade se conscientize seus objetivos pelo entendimento mútuo.”podendo cada um ser , construtores de pontes, que conduzam a união, ao diálogo e ao respeito às diferenças.Eu acredito no ensino religioso,sou um educador!

    ResponderExcluir
  2. A Escola não tem pretensão de transmitir crenças ou apenas valores. Mas facilitar conhecimentos e atitudes, no sentido que educa os alunos à “essência ”; ao que transcende,possibilitando-os a perceberem nas religiões, e mesmo fora delas, o que dá sentido à vida e motivando ao compromisso numa construção da nova sociedade; sendo referência para os ideais de vida , a dialogar, criando convicções próprias de respeito aos outros. Assim, a educação deve humanizar ser humano e assim para que ele humanize o seu mundo, produzindo cultura, transformação e construção da história!

    ResponderExcluir

Paciência - Lenine