sexta-feira, 18 de maio de 2012

CONSTRUINDO A ÁRVORE DOS EIXOS TEMÁTICOS DO ENSINO RELIGIOSO



Caríssimos, neste momento  vamos construir no coletivo essa árvore! 
A turma será dividida em cinco grupos e cada subgrupo representará uma parte da árvore, ou seja: raiz, caule, folha, flores e frutos. Para isso temos que agir enquanto educadores do Ensino Religioso que estando sempre à procura de dinamizar as aulas precisamos nos fundamentar a esse respeito para que possamos alcançar os nossos objetivos e metas que é conquistar o espaço sagrado de sala de aula nos momentos das aulas do Ensino Religioso. Portanto, reflitam e respondam:

A RAIZ: é a parte responsável pela sustentação da planta ao solo, alimentando-a e nutrindo-a com seus sais minerais. Supondo que essa parte represente as Culturas e Tradições Religiosas, consideradas a sustentação e a continuidade de um povo no Planeta Terra, por isso vejam:
(a) Como o grupo se vê diante do preconceito religioso de uma cultura em relação à outra?
(b) Em suas escolas isso acontece. De que maneira você enfrentaria essa situação?

O CAULE: é a parte que sustenta a planta transportando a seiva retirada da raiz levando até as outras partes da planta. Esta pode ser comparada com os textos sagrados orais e escritos, sendo estes responsáveis pela transmissão da comunicação através do tempo-história, a verdade e a fé, de uma cultura religiosa, o mistério do Transcendente.
(a). Qual a diferença entre um texto sagrado oral e um texto sagrado escrito?
(b) Quais dos dois são mais importantes, os das culturas religiosas com texto oral ou os das culturas religiosas com escritos sagrados?

AS FOLHAS: As folhas são responsáveis pela fotossíntese, respiração e transpiração, funções primordiais de um ser vivo do reino vegetal. 
Essa parte da planta simboliza o eixo temático: Teologia, que representa o oxigênio das culturas religiosas que sistematiza as afirmações, os conhecimentos das religiões sobre o sagrado, sendo este o senhor absoluto das verdades de fé e crenças com suas doutrinas.
(a). Quais são as possíveis respostas para a vida além morte nas tradições religiosas?
(b). Você enquanto professor (a) de ensino Religioso, de que maneira você transmite isso para seus alunos? 

AS FLORES: Quando uma flor desabrocha significa que está pronta para reproduzir-se. Quando uma planta "dá flor", está em sua fase mais crítica, pois direciona toda a energia a esta atividade.
Assim são os Ritos religiosos na vida das pessoas que se recolhem ao se preparar para iniciar em determinada cultura religiosa e seus diversos ritos, onde acontecem os rituais com as práticas celebrativas, seus símbolos e espiritualidades.
(a). Qual a importância dos ritos nas tradições religiosas ou não têm nenhum significado?
(b). Como você vê essa questão em relação ao preconceito religioso, é possível um diálogo?

OS FRUTOS: É o ovário fecundado que se incumbe de proteger a maior riqueza de uma planta, a semente, guardando-a em seu interior, para dar origem a outro vegetal da mesma espécie.
Assim também o Eixo Ethos representa o próprio sentido do ser, é formado na percepção de valores de que nasce o dever como expressão da consciência como resposta do próprio “EU” pessoal. Ética e religião são temas centrais no processo de humanização das pessoas. Portanto não pode ficar de fora do processo educacional. É por isso que o Ensino religioso nas escolas se torna um espaço importante.
(a). Pensem numa ética educacional para os dias atuais, como trabalhar isso nas culturas religiosas?
(b) Com base nisso,  tentem elaborar os princípios de uma ética educacional para o Ensino Religioso.

Bom trabalho... Maria José Torres Holmes

Refletindo

A escola é o espaço aberto, amplo e muito rico para se trabalhar com as Culturas e Tradições Religiosas. Não só no aspecto de construção do conhecimento, mas, pela riqueza de sua diversidade, existente em seu interior. Faz parte de uma de suas tarefas o desenvolvimento  do ser humano nos aspectos: sensorial, intuitivo, afetivo, racional e religioso-antropológico, porém, não é função da escola mostrar a vivência desses valores, enquanto conduta religiosa de fé, mas possibilitar esse conhecimento através do componente curricular do Ensino religioso que não privilegia esta ou aquela religião, mas que propõe ao educando a possibilidade de conhecer o seu objeto de estudo que é o fenômeno religioso das várias culturas e tradições religiosas e suas manifestações. É uma questão de respeito às diferenças.
Essa oficina, possibilitou aos educadores, um estudo reflexivo à respeito dos eixos temáticos que conduzem os conteúdos desse componente curricular.

(EQUIPES RAIZES): Preconceito / Respeito; Imposição / Compreensão; Diversidade Religiosa / Diálogo Interreligioso; Intermediar com Naturalidade; Globalização / Pós Modernidade.  Esses são temas para serem debatidos em sala de aula.  Segundo os relatos das duas equipes que trabalharam as culturas religiosas afirmaram que: 
"Nos encontramos em meio a um grande desafio, uma vez que o etnocentrismo religioso suplanta os valores religiosos de outras culturas. É necessário um preparo sócio-antropológico por parte dos docentes para tratar em sala de aula essas questões, de maneira que não ignore os valores e as particularidades de cada tradição cultural, como também uma consciência pautada pela ética religiosa capaz de nos levar a enxergar cada cultura como igual". “O preconceito religioso existe dentro das escolas e se apresenta fortemente nas aulas do ER visto ser um espaço de construção e reflexão do conhecimento. É comum a imposição por parte dos adeptos de várias tradições religiosas, todavia cada professor de ER deve nesse momento, mediar o conhecimento da diversidade religiosa e cultural levando o aluno a perceber a necessidade de compreensão e diálogo interreligioso para convivência pacífica entre os alunos e entre as pessoas”.

 (EQUIPES CAULES)  “A tradição oral tem sua grande importância por ter o compromisso em passar de geração em geração todo o seu conhecimento cultural religioso. Portanto seus rituais são vivenciados e rememorados constantemente. Na tradição escrita todos os conhecimentos religiosos são registrados para contribuir para a reflexão e prática de sua religiosidade. Embora que dependendo das tradições feitas, podem correr o risco de interpretações do texto sagrado, assim como a tradição oral depende da influência de outras tradições religiosas podem trazer outros elementos agregadores para seus rituais. Ambas as tradições possui importância fundamental para a compreensão da prática, conhecimento, experiência, visão de mundo, de fé e religiosidade, de conhecimento cultural religioso e o fenômeno religioso presente em diversas culturas religiosas”.  “A diferença de um texto sagrado oral e de um texto sagrado escrito é pelo fato de que o texto oral passa o conhecimento cultural e religioso envolvendo os mitos, lendas, rituais a história de pais para filhos de geração em geração (ancestralidade). E o texto escrito é a forma fundamentada da crença religiosa onde esses registros sagrados tornam-se leis e estatutos para serem cumpridos. Todos os textos sagrados (orais e escritos) são relevantes, cada um com sua importância sagrada. “Ambos representam as cores do arco Iris, são lindos exuberantes, participantes e fundamentais na natureza”. Para o conhecimento dessas tradições por outros segmentos religiosos ou estudiosos na área a tradição escrita torna-se mais fácil o entendimento porque a palavra escrita comprova, fundamentaliza e consegue ultrapassar o tempo.”


(EQUIPES FOLHAS) VIDA E MORTE-  “O mundo transcendente do ser humano, o que há além da morte, tanto as tradições religiosas orais e escritas interpretam de várias formas o mundo além morte. Na tradição cristã se ensina a ideia de um céu como premiação por uma vida obediente a Deus. E uma ideia de inferno como punição por desobediência. Na tradição budista existe a ideia de vidas sucessivas assim como no espiritismo (Reencarnação) como forma de evolução espiritual. Ancestralidade para outras culturas e o nada, porque existem aqueles que acreditam que após a morte tudo se acaba. Na condição de professor acreditamos que devemos transmitir informações sobre essa temática de forma que contemple a visão das várias crenças, através do debate, diálogo, vídeos, pesquisas entre outros". 

(EQUIPES FLORES): A Tradição, e o conhecimento, a criatividade, e a interatividade para vencer preconceitos.   "Os  ritos são essenciais nas tradições religiosas. Tudo começa e termina com um ritual no percurso das celebrações. É uma forma de perpetuar o conhecimento, transmitir a comunicação entre as tradições, responder perguntas, interagir e celebrar a história e a memória. "A cultura religiosa por si só traz consigo preconceitos e obstáculos. E cabe a nós educadores utilizar da criatividade na metodologia para desmistificar essas barreiras do preconceito. 
É possível sim o diálogo! Se as pessoas tomarem consciência da importância do respeito e do diálogo religioso, essas barreiras do preconceito serão amenizadas".

(EQUIPE FRUTOS): Pensar uma ética educacional para trabalhar as culturas religiosas é "praticar o não proselitismo em sala de aula, saber respeitar as escolhas de cada um, demonstrando para os alunos o quanto é importante respeitar as religiões dos colegas". "O respeito a tudo e a todos que fazem parte desse mundo é fundamental . A diversidade cultural religiosa, diferença de raças, gênero limitações e deficiências, nos faz repensar que poderemos trabalhar em nossas aulas através da conscientização, da informação, do não preconceito junto às demais culturas diferentes das suas.

 Princípios para uma ética educacional para o Ensino Religioso:  
  •  O não proselitismo; 
  •  O diálogo interreligioso; 
  • Respeitar a tolerância e a laicidade do nosso País; 
  • Entender  o direito que todas as culturas religiosas tem, 
  • Respeitar as pessoas que dizem não professar nenhuma crença religiosa; 
  • Respeitar a individualidade de cada um; 
  • Cumprir o que preconiza o Artigo 33 da LDB;
  • Partcipar da formação continuada; e do planejamento da escola;
  • Seguir  os preceitos das diretrizes que regem o Ensino religioso;
  • Ter compromisso e responsabilidade não só com as escolas, mas com os alunos e toda comunidade escolar. 
  • Com bases nesses princípios as pessoas poderão ter um bom caráter; humildade, caridade e virtudes; afeto, amor, respeito e fé; prudência tolerância e atitudes responsáveis.

4 comentários:

  1. Boa ideia para essa de explicar os eixos temáticos comparando-os com uma árvore. Vou aproveitar em um momento de formação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja sempre bem vinda "O Caminho da Letras!"
      Boa noite!Esse título é um Blog?

      Excluir
  2. Prezada/Querida Maria José, belíssimo trabalho esse seu seu blog. Farei uma assessoria sobre os eixos temáticos do ER e achei muito apropriada essa metáfora da árvore. Em sintonia de ideias e práticas, meu abraço carinhoso a você. juliocesarmlima@yahoo.com.br - www.coisasesentidos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Seja sempre bem vindo ao blog julio Cesar!
    Terei o maior prazer em poder colaborar com as temáticas pedagógicas de ensino e aprendizagem.

    ResponderExcluir

Paciência - Lenine