sexta-feira, 18 de maio de 2012

ARTIGO: O Fenômeno Religioso


Maria José Torres Holmes[1]    Eduardo Paiva dos Santos[2]  

Introdução

Desde os primórdios da vida no mundo e tudo que há nele, é que os pesquisadores cientistas procuram investigar sobre o fenômeno religioso, para saber o porquê da sua existência, se há algo mais do que aquilo que já se conhece. No entanto as ciências humanas estão sempre pesquisando sobre os mais variados sistemas religiosos, porém a religião se mostra aos olhos dos cientistas com suas diferenças e estes mergulham em suas pesquisas, para compreendê-las melhor e aprofundar os seus conhecimentos sobre o fenômeno religioso e como cada sistema religioso se comporta diante de tal fenômeno. É comprovado pela história e outras ciências que não existe nenhum povo sem religião ou sem tradição religiosa.


A concepção de transcendente

As diversas religiões e tradições religiosas que foram se constituindo no decorrer da história fundamentam a sua concepção de Transcendente, o sentido da vida e da morte, a maneira de ser e de agir no mundo, através de seus escritos e também da oralidade. Por mais que recuemos no tempo, sempre encontraremos vestígios de culto religioso das mais variadas, qualquer que sejam as culturas humanas, sempre existirá alguma forma religiosa.

O Sagrado

Isso para o ser humano tem a sua relevância, enquanto pessoa, revestida de dignidade e direitos que lhe são inerentes, que tem se debruçado sobre a existência de um ser supremo, transcendental e que governa toda a vida, não deixa de ser um desafio, pois tudo que se relaciona com a Transcendência e ao Sagrado, requer um estudo mais profundo para se compreender esse fenômeno, não só no aspecto das várias tradições religiosas, mas também, como as ciências humanas abordam esse tema, partindo do princípio de que é através desse conhecimento que se tem uma melhor compreensão de nós mesmos, bem como do outro com todas as suas diferenças.

A Busca de Respostas

O fenômeno religioso em cada tradição religiosa tem uma resposta para a vida além-morte, ou seja: Ressurreição; Reencarnação; o Ancestral e o Nada. Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso, elas são norteadoras do sentido da vida, exprimem os ritos de passagem, tendo a morte como última passagem

Objeto de Estudo do Ensino Religioso

Muitos cientistas estudiosos das religiões dedicaram boa parte de sua vida, na busca de descobrir algo que liga o ser humano ao sagrado. Diante dessa complexidade de conhecimento é que surgem os mais variados questionamentos e indagações sobre a compreensão das religiões. Como cada cultura absorve esse fenômeno religioso? Qual a sua manifestação religiosa, uma vez que é ela que registra profundamente, a forma de vida de um povo? Portanto, no processo educativo, é imprescindível tratar do Ensino Religioso sem falar das várias tradições religiosas, uma vez que cada cultura religiosa apresenta o fenômeno religioso, e cada uma dessas culturas religiosas tem o seu culto diferenciado ao transcendente, e como tal se apresenta o fenômeno religioso. É preciso para isso entender que cada tradição religiosa tem a sua função e, uma delas é educar o ser humano para a vida, conduzindo para viver uma vida plena a partir do encontro consigo mesmo, com o outro e com o sagrado. É onde o Ensino Religioso e a educação fundamentam a sua natureza.

Fundamentação Teórico-Metodológica da Pesquisa

RUEDELL (2007, p. 44). “O profundo do ser humano é a dimensão religiosa, com a qual sintonizamos quando algo nos toca incondicionalmente”.  Nessa afirmação ele quer dizer que a dimensão religiosa desse ser, pode ser vista pelos pesquisadores numa ótica diversa, no entanto uma coisa tem em comum que é o ser humano religioso.
OLIVEIRA et all (2007, p. 65): “A complexidade do fenômeno religioso com suas faces e variantes exigem do professor de Ensino religioso grande capacidade de superação de incontáveis agentes integrantes de sua formação em sua condição de pessoa imersa num contexto e num cotidiano civilizado”. Isto implica a necessidade de se construir uma pedagogia que favoreça tal perspectiva, porque o que objetivamos é fruto de uma experiência pessoal, na incansável busca de respostas para as questões existenciais

REFERÊNCIAS
OLIVEIRA Lilian Blanck de et all. Ensino Religioso: no Ensino Fundamental. São Paulo, SP: Cortez, 1ª Ed. 2007. Coleção docência em formação. Série Ensino Fundamental
RUEDELL, Pedro. Educação Religiosa: Fundamentação antropológico-cultural da religião segundo Paul Tillich. São Paulo, SP: Paulinas 2007.
SANCHEZ, Wagner Lopes. Pluralismo Religioso: as religiões no mundo atual.
São Paulo: Paulinas. 2005. Coleção Temas do Ensino Religioso.
STEEL, Edson. Ensino Religioso: Ensino Fundamental II. São Paulo-SP. Global Editora, 2009.



[1] *Profª. de Ensino Religioso (ER) do Estado da Paraíba. Especialista e Mestra em Ciências das Religiões UFPB. Coordenadora do ER e Assessora pedagógica da Secretaria de Educação e Cultura de João Pessoa-SEDEC / PMJP –E-mail: mjtholmes @yahoo.com.br

[2] Professor de Matemática e Mestre em Ciências das Religiões- UFPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BNCC: Ensino Religioso